Casos de infidelidade consentida estão a aumentar.

28-10-2017 19:36

As relações abertas estão na moda. Um estudo internacional garante que o número de relações extraconjugais assumidas tem vindo a crescer

Afinal, havia outra e ela sabia e não se importava. Passa-se com elas e passa-se com eles. Segundo um estudo internacional, são cada vez mais os casais que optam por admitir ser infiéis, com o aval do parceiro. A tese de que os homens não foram feitos para ser monógamos parece cada vez mais consensual, nomeadamente entre pessoas casadas, havendo mesmo quem acredite que a infidelidade pode ser a salvação de um casamento. E se é certo que a maioria opta por ter relacionamentos extraconjugais de forma discreta, a verdade é que há cada vez mais casais que procuram abertamente affairs, com a autorização dos respetivos cônjuges. A conclusão é de uma pesquisa feita junto de 19.346 utilizadores do Ashley Madison.com , o maior site de relacionamentos extraconjugais do mundo.

VEJA TV AO VIVO

Os inquiridos, que têm ou procuram relacionamentos abertos, justificam as suas motivações com a necessidade de combater a rotina. «Para muitos a monogamia pode ser aborrecida e insatisfatória, resultando na infelicidade matrimonial de inúmeros casais», afirma Noel Biderman, CEO e fundador do site.« Será que o aumento das chamadas relações abertas é revelador de que a sociedade está a tornar-se mais recetiva a relações não monogâmicas? E o facto de existir permissão significa que não é infidelidade?”, questiona mesmo o empreendedor.

 

«Independentemente das respostas, certo é que dos 19.346 utilizadores do Ashley Madison.com inquiridos, 85% dos homens e 79% das mulheres que afirmam ter relacionamentos abertos acreditam piamente que a monogamia é irrealista e, na maioria das vezes, impossível», refere mesmo o comunicado da empresa. «As conclusões do último inquérito feito aos utilizadores do maior site de relacionamentos extraconjugais do mundo parecem estar em consonância com a recente investigação da Universidade Portucalense [«Amor, sexualidade e desinvestimento romântico: um estudo misto com casais swingers e não swingers»], que, entre outras coisas, concluiu que as mulheres monogâmicas são o grupo mais insatisfeito sexualmente», avança ainda o documento.

Vontade de trair com… pessoas do mesmo sexo!

Em termos médios, cerca de 78% dos homens e de 81% das mulheres inquiridas sentem que o seu casamento «melhorou consideravelmente» desde que optaram por ter um relacionamento aberto, garantem ainda os responsáveis pela pequisa. Mas não foi só em termos relacionais que as coisas melhoraram. O sexo também ficou mais escaldante. «72% dos homens e 65% das mulheres não têm dúvidas de que ter um relacionamento aberto contribuiu decisivamente para melhorar a vida sexual com o cônjuge», refere a investigação.

«A opinião da sociedade sobre casamento, relações e monogamia está sempre a evoluir e estamos entusiasmados por estar na vanguarda desta mudança. Há cada vez mais casais a quererem experimentar relacionamentos abertos e penso que isso resultará em casamentos mais felizes e menos divórcios”, conclui também Noel Biderman. «Os meses de verão são uma altura particularmente popular para o poliamor, com os meses de junho, julho e agosto a gerarem normalmente um aumento de 128% na média de utilizadores que acedem ao site», pode ler-se ainda no comunicado, que revela que «17% dos homens e 21% das mulheres admitem gostar de experimentar ter relações extraconjugais com pessoas do mesmo sexo».

Lojasbrasil.net

Texto: Luís Batista Gonçalves

 

artigo do parceiro:

Voltar