Mãe de 40 anos tem 44 filhos biológicos e talvez seja a mulher mais fértil do mundo

04-05-2019 11:28

Agora, que o marido a abandonou, ela cuida sozinha de 38 crianças

Mariam Nabatanzi está sendo considerada uma das mulheres mais férteis da Uganda, um país do continente africano, aos 40 anos ela já tinha dado à luz a 44 crianças. Hoje, ela cuida de 38 filhos sozinhas, Mariam foi abandonada pelo marido, com quem estava casada há mais de duas décadas.

Sim, ela se casou com 11 anos e aos doze já estava grávida de gêmeos. Mariam nunca teve uma gestação que não fosse de gêmeos, trigêmeos ou quadrigêmeos. Ao longo da vida ela trouxe ao mundo cinco pares de gêmeos, quatro pares de trigêmeos e cinco pares de quadrigêmeos, totalizando 44 crianças.

 VEJA TV AO VIVO 

Infelizmente, 6 crianças não resistiram e morreram durante o trabalho de parto e por isso, hoje ela cuida “só” de 38 filhos. A última vez que ela deu à luz foi há dois anos atrás, aos 39 anos, mais um par de gêmeos. Foi depois do nascimento deles que o marido de Mariam a abandonou.

Ao jornal Daily Mail ela disse que: “Chorei muito após ele ter me abandonado, meu marido me fez sofrer demais.” E hoje ela diz que tudo que ela faz é em função dos filhos, ela está tendo que cuidar das crianças sozinha: “Todo meu tempo é gasto ou cuidando dos meus filhos ou trabalhando para conseguir ter dinheiro para cria-los.”

Mariam está trabalhando como cabeleireira, decoradora de eventos, fabricante de bebidas e tudo que aparecer. Ela contou ao jornal britânico que ela foi ao médico e ele explicou que os ovários dela são muito maiores do que o normal, mas também disse para ela que anticoncepcionais eram perigosos.

A família vive em casebres, as crianças se dividem em colchões finos em cima de camas de metais ou nos mesmos colchões finos, mas no chão. E todos precisam se dividir em tarefas domésticas. Para encerrar a entrevista, ela abre o coração: “Eu tive que assumir muitas responsabilidades desde muito cedo, eu acho que não tive uma alegria desde quando nasci. Quero que ao menos meus filhos sejam felizes.”

 

Voltar