Rumo ao horizonte. Há uma expedição preparada para chegar ao fim do mundo e provar que a Terra é plana.

25-03-2019 18:46

Ao longe: uma parede de gelo. Um grupo de pessoas que acreditam que o planeta é um disco achatado está a preparar-se para navegar até à Antártida, onde esperam encontrar o muro de gelo que segura os mares e os impede de escorrer. A partida está marcada para 2020 — mas há um problema: os sistemas de navegação atuais existem como existem precisamente porque a Terra é uma bola.

O que existe para lá do horizonte? Ao fundo daquela linha, que se vê, ligando o céu e o mar, quando à beira da costa, o que existirá? Em 2020, uma expedição vai rumar precisamente aí, para confirmar que o que lá há é uma parede de gelo, responsável por segurar os oceanos e impedir que escorram Terra fora — porque a Terra, assim o defendem os organizadores, é plana.

A Conferência Internacional da Terra Plana (FEIC, na sigla em inglês) está a preparar uma viagem ao suposto limite do planeta, em busca do muro de gelo que supostamente segura a água no sítio. Assim, hão de ser capazes de confirmar a tese dos que defendem que a Terra não é um globo, mas um disco espalmado em cujo bordo se levanta uma parede gelada.

As datas concretas e outros detalhes ainda estão para ser divulgados pela FEIC. Todavia, há coisas que podem complicar a viagem: é que as cartas marítimas e também os sistemas de navegação como o GPS (e aqui o “G” é de “global”) estão baseados num planeta esférico.

Henk Keijer, que durante 23 anos comandou cruzeiros pelos mares, explica precisamente isso ao jornal britânico ‘The Guardian’. “Naveguei qualquer coisa como dois milhões de milhas”, explica. “Nunca encontrei um comandante que acredite que a Terra é plana”.

Keijer explica que o sistema de triangulação que determina a posição através do GPS precisaria apenas de três satélites para desempenhar a sua função se a Terra fosse plana. Como não o é, são necessários 24, que envolvem o planeta, permitindo que quem esteja nos antípodas de Portugal possa na mesma encontrar-se usando o sistema.

Mais: muito antes de o GPS existir, já os gregos, há mais de dois mil anos, demonstravam que a Terra é uma esfera e que a gravidade, força que mantém as coisas no lugar, impedindo-as de flutuarem espaço fora, só pode existir num mundo esférico.

"Acreditar que a Terra é plana não é necessariamente perigoso, mas surge num contexto de descrédito para com as instituições e as autoridades em geral", aponta Asheley Landrum, que liderou uma investigação da Texas Tech University que acreditam ter identificado um dos principais motivos para um aumento no número de pessoas que acreditam que a Terra é plana: o YouTube.

 
 
Voltar